A postura criptográfica do presidente argentino Milei é testada quando o país adota padrões internacionais de AML

Argentina, o governo introduziu requisitos de registro obrigatórios para empresas de criptografia. A Comisión Nacional de Valores (CNV), autoridade reguladora de valores mobiliários da Argentina, anunciou que os provedores de serviços de ativos virtuais devem cumprir as novas regulamentações destinadas a aprimorar a estrutura do país contra a lavagem de dinheiro (AML) e o combate ao financiamento do terrorismo (CFT). 

Esta medida está alinhada com as recomendações do Grupo de Ação Financeira (GAFI) e marca um momento crucial para os serviços de ativos digitais na Argentina.

Argentina adota padrões globais com nova regulamentação de criptografia

O Senado da Argentina aprovou modificações na legislação existente que visa a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, abrindo assim o caminho para a implementação de uma supervisão mais rigorosa sobre as operações criptográficas. 

A CNV enfatizou que estas mudanças estão em linha com as diretrizes do GAFI, que visam garantir que os prestadores de serviços de ativos virtuais operem de forma transparente e responsável. Segundo o presidente da CNV, Roberto Silva, as empresas de criptografia não registradas não poderão mais funcionar no país. 

Esta regulamento faz parte dos esforços mais amplos da Argentina para integração no sistema financeiro global através da adopção de normas e práticas reconhecidas internacionalmente.

Impacto na indústria de criptografia e nos usuários

A exigência de registro das empresas de criptografia junto ao governo argentino significa uma mudança em direção a uma supervisão mais regulamentada e estruturada dos ativos digitais no país. As reformas, que foram iniciadas antes da eleição do presidente Javier Milei – um conhecido defensor do Bitcoin e das moedas digitais – geraram discussões dentro da comunidade criptográfica. 

A implementação das recomendações do GAFI levantou preocupações sobre o futuro dos ativos digitais na Argentina, especialmente entre aqueles que viam a presidência de Milei como um desenvolvimento positivo para o espaço criptográfico.

Um dos efeitos imediatos das novas regulamentações está nas operações do Strike, uma carteira de custódia Lightning popular entre os argentinos por facilitar pagamentos em Bitcoin. Os usuários relataram que o aplicativo não suporta mais o envio de moeda fiduciária para contas bancárias, indicando um impacto direto na disponibilidade de determinados serviços de criptografia no país. Este desenvolvimento sublinha as implicações mais amplas dos novos requisitos para as empresas que operam no setor de ativos digitais e para os seus clientes. 

O movimento ousado da Argentina na regulamentação da criptografia e no envolvimento nacional

O Ministro das Relações Exteriores da Argentina chegou a sugerir que os contratos poderiam ser liquidados usando Bitcoin e outras criptomoedas, destacando o interesse do governo em explorar o potencial dos ativos digitais.

Apesar destas mudanças regulamentares, o Presidente Milei continua a interagir com o público sobre várias questões nacionais. Ele falou recentemente numa cerimónia comemorativa do Dia das Malvinas, que homenageia aqueles que perderam as suas vidas durante a Guerra das Malvinas em 1982, demonstrando o seu compromisso contínuo em enfrentar os desafios passados ​​e futuros da Argentina.

A decisão da Argentina de implementar requisitos de registo para empresas de criptomoedas representa um passo crítico para melhorar o quadro regulamentar para ativos digitais no país. Ao alinhar-se com as recomendações do GAFI, a Argentina pretende combater de forma mais eficaz a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, ao mesmo tempo que promove um ambiente seguro e transparente para a crescente indústria criptográfica. 

À medida que o cenário global das moedas digitais continua a evoluir, a abordagem da Argentina à regulamentação pode oferecer informações valiosas para outras nações que navegam nas complexidades da supervisão das criptomoedas.

Fonte: https://www.cryptopolitan.com/argentina-adopts-international-aml-standards/